arashinokoe


Arashi no Koe (嵐の声)

A voz da tempestade!


Previous Entry Share Next Entry
Resenha | THE DIGITALIAN
arashinokoe
digitalian-arashi


A maioria das fellow arashians já devem ter ouvido o novo álbum do Arashi: THE DIGITALIAN. Como muitos sabem, a essência do álbum é o digital, com pegada eletrônica e tudo que envolve esse universo. Quando descobri isso, fiquei um pouco receosa. Talvez por não ter conseguido relacionar "Bittersweet", "Daremo Shiranai" e "GUTS!" à proposta do disco. Aí, surgiu ZERO-G e a imagem do que viria a seguir começou a clarear. Claro que, ainda assim, senti que há músicas desconexas que parecem jogadas na tracklist. Os singles que citei são grandes exemplos, mas também colocaria "Hope in the Darkness", "One Step", "Take Off!!!!!" e "Hey Yeah!". Porém, quem gosta e entende como Arashi funciona, vai encontrar muito do grupo em casa música. Vi gente dizendo que viu referências de k-pop e pensei na hora: onde? Não ouvi nada disso. Tem muito deles em todas as faixas. Umas mais. Outras menos. Mas as referências estão sempre presentes e, pra mim, isso que importa. Quero colocar o álbum no aleatório e ter a certeza que ouvirei o som da tempestade.


  • OPINIÃO GERAL

Gostei muito do álbum, principalmente dos solos. O trabalho individual ficou bem feito, as vozes combinaram com o estilo das músicas e o resultado final ficou acima da média. A grande surpresa foi o do Matsujun, "STAY GOLD". Sempre fico com pé atrás com os solos dele - a voz esganiçada não me atraI -, mas ele conseguiu entregar um trabalho incrível e coeso. As batidas são viciantes. Dá vontade de ficar o dia todo escutando.

O que me decepcionou um pouco foi o do Nino, "Merry Christmas", por não ter me surpreendido e também por não ter explorado seu forte: melodias lentas e letras com temas emotivos (família, amigos, entre outros). Claro que podem dizer: "ah, se ele seguisse esse caminho, seria mais do mesmo". Não concordo. É possível inovar utilizando os pontos fortes de cada um. Assim como o Jun tem apelo sensual/corporal, o Nino tem essa pegada mais inocente (com exceção de "Gimmick Game", né?). O importante é saber usá-las a favor de cada integrante, misturando-as à aura do Arashi.

Sho fez um bom trabalho nesse álbum. O solo dele é excelente. Quem ouvir com atenção, vai reparar nas referências ao gospel norte-americano e ao brit-pop. Tudo isso sem desviar do caminho que ele gosta de seguir. Foi uma surpresa positiva. O sakurap em "Asterisk" é catchy, assim como a música toda.

"Imaging Crazy", solo do Ohno, trouxe a melodia dançante de volta (que, ultimamente, está sempre presente), um pouco de soul music e o imaginário da coreografia dos shows. Impossível ouvir essa música e não ficar imaginando os passos dele em cima do palco, né? Difícil não entrar no clima. É só escolher a faixa que os pés/pernas já começam a mexer sozinhos. Dom do pescador!

"Disco Star", solo do Aiba, mantém a essência dele: música alegre, dançante e gostosa de ouvir. Com um porém: pra mim, essa é a melhor depois de "Friendship" (apesar de preferi-la na voz do Nino). Não sou fã dos solos do Magical Boy, mas tenho que concordar que esse é bom.

Enquanto ao restante, saliento a "Kimi no Yume wo Miteita" como a que mais combina com o grupo. Ela é moderna, mas com o toque das antigas. É bem tranquila e aproveita bem os efeitos eletrônicos sem excessos. "Take Off!!!!!" é uma das melhores e comprovou a habilidade de compor do nosso Sho. Não fui muito com a cara de "Wonderful" e "Trap", mas não são inaudíveis. A mais lentinha seria "Tell Me Why", que tá mais pra love song (tem que ter pelo menos uma nesse estilo). Juntando-se a ela, "Hope in the Darkness" tem uma mensagem motivacional de "encontre a esperança na escuridão", como o próprio nome diz. E, pra fechar, "One Step", que é atrativa por conseguir unir os instrumentos, melodia e vozes com maestria.

tumblr_ncqxztqeMA1sziljno2_500[1]TRTUYYKY

Em relação aos singles, destaco "GUTS!" como o melhor (mesmo fugindo da essência do álbum). A música é animada, combina com o dorama no qual é tema (Yowakutemo Katemasu) e, bem, tem o Nino como center"Bittersweet" é quase a tradução de Shitsuren Chocolatier, doraminha do Jun. É feliz, bonitinha e com batidas leves. "Daremo Shiranai" é apropriada à Shinigami Kun, dorama do Ohno, além de ter uma aura misteriosa (nada a ver com a mensagem do álbum...). E, por último, "ZERO-G", que é a música de divulgação do álbum (não é single), conseguiu reunir tudo que THE DIGITALIAN queria mostrar. É um pouco diferente do que o grupo tá acostumado a fazer e tem bastante auto-tune (muita gente reclama disso, mas não considero um ponto negativo). Achei a faixa atrativa e coerente.


  • CONCLUSÃO

Quem é fã, não deixará de ouvir. Quem não é, certamente se interessará pela mistura que é THE DIGITALIAN. Claro que sempre esperamos um álbum que respeite a essência/mensagem proposta, mas com Arashi é difícil de acontecer (na verdade, com Johnny's no geral). Acredito que mais pelo fato de ter que inserir músicas nos doramas, que nada têm a ver com o disco em si, portanto, parece que essas faixas boiam na margem. São ótimas, mas não combinam com, por exemplo, "Asterisk" ou "ZERO-G". No geral, a surpresa foi boa. Recomendo-o pra quem gosta de j-pop com toque eletrônico, melodias dançantes e leveza. Pra mim, o que mais importa é a felicidade que os arashinhos proporcionam a cada novo trabalho. É sempre uma grande alegria poder ouvir esses sons, absover as inovações sorrindo e tentando compreender as diferenças de uma etapa pra outra. Então, só digo uma coisa às fellow arashians: continuem deixando seus ouvidos bem abertos pra ouvir a tempestade com força total! :D

  • 1
Oi ^^
Acho que nunca comentei no seu journal mas achei sua resenha ótima e concordo demais com tudo o que vc disse. Eu tb fiquei super receosa quando li que o tema ia ser "digital" e tal, acho que é daí que as pessoas tiram que teve influências kpop (o que eu não vi em nada, e eu sigo kpop). Mas no fim das contas eu não consegui tirar ZERO-G do repeat por dias!
Eu também esperava mais do solo do Nino (que costumam ser meus favoritos), achei que ele não ousou muito e não foi aquela coisa emocional que normalmente são os solos dele, mas não é uma música ruim. Com relação a ser mais do mesmo eu achei isso do solo do Ohno na verdade, essa pegada soul já tá tão batida que já virou padrão dele. Surpreendentemente eu amei o solo do Sho, foi meu favorito, e eu muito raramente gosto dos solos dele.

Enfim, só um comentário random mesmo (e mega atrasado) lol

  • 1
?

Log in

No account? Create an account